sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Endereços dos Bancos de Sangue Umbilical e Placentário




Região Norte

Belém / Pará 
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemopa
Tel: (91) 3242-9100

Região Nordeste

Fortaleza / Ceará 
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemoce 
Tel: (85) 3223-4868

Recife / Pernambuco 
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemope 
Tel: (81) 3182- 4763

Região Sudeste

Belo Horizonte/ Minas Gerais
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário da Fundação HEMOMINAS – CETEBIO
Tel: (31) 3768 – 7400 / 7466

Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do INCA 
Tel: (21) 3207-1390

Campinas / São Paulo
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemocentro Unicamp 
Tel: (19) 3521-7003

Ribeirão Preto / São Paulo
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Planetário do Hemocentro Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP 
Tel: (16) 2101- 9373

São Paulo / São Paulo
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário da Instituição Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein
Tel: (11) 2151-0344 / (11) 2151-2041

São Paulo / São Paulo
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hospital Sírio Libanês 
Tel: (11) 3155-3752 / (11) 3155-3753

Região Sul

Curitiba / Paraná 
Biobanco do Hospital de Clínicas do Paraná – HC / UFPR 
Tel: (41) 3360-1800

Florianópolis / Santa Catarina 
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hemosc 
Tel: (48) 3251-9791

Porto Alegre / Rio Grande do Sul 
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Tel: (51) 3359-7654


Região Centro-Oeste

Distrito Federal / Brasília
Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário da Fundação Hemocentro de Brasília 
Tel: (61) 3327-1286

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

CORDÃO UMBILICAL - MAMÃE, PODEMOS SALVAR VIDAS!







Quando uma mulher está grávida, o cordão umbilical serve como meio de comunicação entre ela e o bebê. É através do cordão que o bebê percebe os sentimentos e humores maternos, realiza a respiração e se alimenta. Após o nascimento, o cordão umbilical é cortado. Antes não era conhecida sua utilidade.
Mas, agora existem pesquisas e procedimentos que o cordão umbilical pode contribuir no tratamento de pacientes que necessitam de transplante de medula óssea.
Por que o cordão umbilical? Foi descoberto que o sangue do cordão umbilical é rico em células tronco, assim como a medula óssea. Sendo que as do cordão são mais puras, pois não tem contato com medicamentos e mais jovens, já que possuem a idade do doador. Essas células tronco podem contribuir para o tratamento não só da Leucemia, mas de outros tipos de câncer, da anemia aplástica e em imunodeficiências congênitas em crianças.
Como é realizada a doação? O Brasilcord, é responsável pelo credenciamento das Maternidades onde estão localizados os Bancos Públicos de Sangue de Cordão Umbilical. Após o corte, o sangue existente no cordão é armazenado em uma bolsa coletora, identificado com um número, analisado no laboratório e congelado por tempo indeterminado. A gestante poderá doar se tiver mais de 18 anos, ter feito pré-natal, não ter câncer ou doenças hematológicas.
O primeiro transplante de um doador diferente, em 2004, foi uma mulher que doou o cordão de seu bebê para um irmão que estava com leucemia infoblástica. Apesar do procedimento ter sido realizado com sucesso, a criança não resistiu a doença que já estava em estágio avançado.
Em 2008, foi realizado um transplante autólogo ( transplante de suas próprias células) em uma garota com sarcoma. Após o procedimento foi considerada curada.
Uma grande vantagem, é que o transplante autólogo se torna uma chance para aqueles pacientes que não tem doadores compatíveis.
MAMÃE! REALIZE UM ATO DE AMOR! COMUNIQUE A SEU MÉDICO QUE QUER DOAR O CORDÃO UMBILICAL DE SEU BEBÊ. E AJUDE A SALVAR VIDAS!

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

domingo, 31 de julho de 2016

Sua opinião é muito importante!

Sabemos que, para um paciente receber a doação de medula óssea enfrenta um processo bastante longo.
O que você acha que pode ser mudado para acelerar esse processo, em relação aos Hemocentros e Hospitais?
Falta informação para população?
Como podemos mobilizar a Sociedade para que existam mais doadores?

Sua opinião é muito importante para nós!
Por favor deixe seu comentário!

Nos siga no FACEBOOK

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Como nasceu a Campanha LEUCEMIA ZERO NO BRASIL



"À alguns anos, perdi minha irmã Cintia de Bartolo Garcia, por falta de Doador...
Na época internada no Hospital Santa Marcelina em São Paulo...
Ressalto que nunca em minha família houve sequer um caso de câncer ... foi um susto para todos nós...
Ela não andava bem, apresentando sinais de cansaço, muitas dores nas pernas, dores de cabeça... os cabelos caiam muito e não tinha apetite...
Um dia pela manhã, minha mãe levou um  susto notando que os olhos dela estavam meio amarelados... (na época estava tendo um surto de hepatite)
e minha mãe pediu para que ela fosse ao médico ver o que estava acontecendo...
E foi o que ela fez no mesmo dia. Chegando ao consultório, a médica examinou e pediu alguns exames de sangue... exames este que ela pegaria no mesmo dia à tarde...
Ela fez os exames e voltou pra casa e mais tarde foi com uma amiga e minha mãe buscar o exame e retornar para a médica...
Assim que a médica abriu os exames, olhou para a minha irmã e disse que ela teria que tomar soro em outra sala...
Nisto minha irmã saiu e a médica pediu para a minha mãe e a amiga ficarem, pois queria conversar...
E aí veio a noticia... sua filha está com Leucemia LMA e as chances de vida são de 30% !!!
Disse que iria encaminhar minha irmã para um outro hospital (Santa Marcelina) e que eles iriam fazer de tudo para salvá-la!
E foi feito todo este procedimento... ela entrou logo com as quimios... perdeu os cabelos (que ela amava tanto)...
Foi muito triste, e para nós que na época não sabíamos nada sobre Leucemia, tudo foi um choque do inicio ao fim...
Quanto à minha irmã, posso dizer que foi uma verdadeira Guerreira... Enfrentou tudo sempre com um sorriso no rosto...
Mas com o tempo a doença foi se agravando e chegou o triste momento em que foi anunciado a necessidade de um Transplante de Medula Óssea!
Foram feitos exames para verificar compatibilidade com os parentes e irmãos, mas infelizmente nenhum de nós foi compatível. E no Banco de Medula também não havia Doador Compatível...
 E ela veio a falecer!
Descrevendo todo o acontecimento, não tem como não encher os olhos...
Minha irmã era linda, tão nova... deixou na época um filho com 6 para 7 aninhos que sofreu muito por perder a mãe...
Foi tudo muito triste... sei exatamente o que estas famílias passam quando perdem um parente...
É uma dor incalculável...
Costumo dizer que aquela frase: ninguém é insubstituível é uma mentira.... pois ninguém vai substituir a falta que ela faz...
Ninguém vai substituir a falta que ela faz ao meu sobrinho como mãe..."

                     Kátia Garcia                              
 Fundadora e responsável poela 
Campanha LEUCEMIA ZERO NO BRASIL




VOCÊ PODE FAZER A DIFERENÇA! SEJA DOADOR DE MEDULA ÓSSEA!



Atenção Doador




Homenagem...










Ofereço esta riqueza de vídeo para TODOS os Guerreiros que estão na luta contra a Leucemia ou outros males no sangue onde se exige o Transplante de Medula Óssea e para TODOS os Guerreiros que infelizmente não conseguiram vencer por falta de um Doador Compatível!

Nelson Félix PARABÉNS!!! BELÍSSIMO TRABALHO!!! SUA VOZ É LINDA! AMEI TUDO!!!





domingo, 19 de janeiro de 2014

Muito lindo! Vale a pena assistir!!!




"Mais pra frente,
entenderemos tudo...
Mais pra frente?
Entenderemos por que...
ânimo, irmão
Veja a luz do sol
Entenderemos tudo em breve..."








domingo, 10 de março de 2013

A importância da doação de PLAQUETAS



O que são plaquetas?


O sangue é composto de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plasma e plaquetas. As plaquetas ajudam no controle de sangramentos e parte delas pode ser doada sem causar prejuízo algum à saúde do doador. O processo que permite a separação e a coleta específica de plaquetas chama-se aférese.
A plaqueta é um dos componentes do sangue fundamental no processo de coagulação. A diminuição na quantidade de plaquetas (ou alteração em sua função) pode predispor a sangramentos. A transfusão de concentrado de plaquetas é uma das formas de minimizar o risco de hemorragia, muito freqüente em pacientes portadores de tumor em tratamento com quimioterapia, naqueles submetidos a transplantes ou com falência de medula óssea.



Qual a diferença entre doação de sangue e de plaquetas?


O primeiro caso ocorre quando o indivíduo doa o sangue com todas as substâncias que o compõem - plasma, plaquetas, hemácias (glóbulos vermelhos) e leucócitos (glóbulos brancos).
A doação de plaquetas, como o próprio nome indica, é a retirada apenas dessa substância do sangue do doador.



Por que doar plaquetas?



Há pacientes que apresentam deficiência de plaquetas, causada por transplante de medula, pela ação da quimioterapia ou por terem sofrido alguma intervenção cirúrgica. Eles podem apresentar sérios sangramentos e, por isso, precisam receber transfusões freqüentes de plaquetas até que o organismo passe a produzir suas próprias células coagulantes.



Como é feita a doação?


A doação pode ser realizada de forma convencional, ou seja, por meio da doação de sangue completa. Nesse caso, depois de coletado, o sangue é submetido a um fracionamento, que separa todos os seus componentes em bolsas diferentes - plasma, hemácias e plaquetas -, para serem usados separadamente. Mas existe um sistema chamado aférese, que isola as plaquetas no momento da doação.

Na doação por aférese, o sangue é retirado da veia de um dos braços, como na doação convencional. A diferença é que o sangue passa por um equipamento que retém parte das plaquetas por meio de centrifugação. Depois disso, o sangue retorna para o doador, com todos os outros componentes. Tudo isso de forma segura e livre de contaminações. Este procedimento, que deve ser marcada com antecedência, dura cerca de 90 minutos.
O processo é simples, rápido e seguro. A diferença da doação por aférese é que o aparelho precisa dos dois braços do doador para que o sangue saia por um lado e retorne pelo outro. Uma das principais vantagens desse sistema é a sua capacidade de coletar seis vezes mais plaquetas do que na doação convencional e pode ser realizada a cada 72 horas, não ultrapassando 24 doações em 12 meses. A reposição das plaquetas pelo organismo é rápida e ocorre em torno de 48 horas.





Quais são os efeitos adversos?



Raramente alguns doadores podem ter a sensação de "friagem", tremor ou hipotensão.



Estas plaquetas não me farão falta?



Não, porque cerca de 30% das suas plaquetas serão doadas sendo que destas, 10% você recupera em uma hora e o restante em cerca de 24 horas.


Quem pode doar?



Para doar é necessário:
- ter entre 18 e 65 anos de idade;
- pesar mais que 50 quilos;
- trazer a Carteira de Identidade original, com foto;
- alimentar-se antes da doação, evitando apenas alimentos gordurosos
- estar em boas condições de saúde;
- Evitar alimentação gordurosa. Não é necessário jejum.
- Não consumir bebida alcoólica pelo menos até 12 horas antes da doação.
- Sono: no mínimo 6 horas antes da doação
- ter realizado pelo menos uma doação de sangue recente no INCA;
- ter disponibilidade de, pelo menos, uma hora e meia para a doação;

Os mesmos requisitos exigidos para doação de sangue também são aplicados para a doação de plaquetas por aférese. Entretanto, é necessário que o doador seja avaliado previamente quanto às condições de acesso venoso necessárias para a realização do procedimento. A correlação peso e altura do doador também deve ser avaliada. Além disso, o doador não deve ter feito uso de aspirina, AAS ou anti-inflamatórios não hormonais nos cinco dias que precedem a doação.



Não podem doar



- Doadores que estiverem gripados ou com febre;
- Mulheres grávidas ou até três meses após o parto;
- Doadores que ingeriram bebida alcoólicas no dia da doação.



Estão impedidos de doar



- Pessoas que tiveram hepatite após 10 anos de idade, doença de chagas e malária;
- Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis e usuários de drogas.



Quanto tempo dura o concentrado de plaquetas?



Os hemocomponentes são conservados em soluções anti-coagulantes e preservantes. O concentrado de plaquetas tem validade de 

5 dias, por isso a necessidade de doação é constante.


Onde é feita a doação?



Quem preferir doar somente plaquetas - por aférese -, precisa agendar o dia e a hora no serviço de hemoterapia. Já para quem deseja fazer a doação convencional, é só comparecer a um hemocentro. Mas também há a possibilidade de agendamento, se a pessoa quiser agilizar o seu atendimento.



SALVE VIDAS. SEJA UM DOADOR DE SANGUE, PLAQUETAS E MEDULA ÓSSEA!
SANGUE É VIDA!








sábado, 24 de março de 2012

Chega de dor... Faça a SUA parte!!! Seja um Doador de Medula Óssea!!!


Infelizmente esse início de ano, tivemos perdas irreparáveis... Perdemos guerreirinhos queridos, que se foram devido a demora de um doador compatível...

É com muita dor que volto aqui no blog, pra postar uma perda... Quero muito vir aqui, e dizer que tudo deu certo! Mas infelizmente, nem sempre as coisas acontecem da forma como desejamos...

Mas a luta continua, e não podemos parar e muito menos perder a fé! E é em nome deles que venho aqui hoje, retomar essa luta, e é em respeito a luta de cada um deles que devemos ter forças pra continuar!!! 

Enquanto há vida, há esperança!!! E existem muitos outros guerreirinhos precisando de nossa ajuda!!!

É tão simples evitar essa dor, basta apenas fazer sua parte: procure um hemocentro e se cadastre como doador de medula óssea! É fácil, rápido e não dói!!! 

Você pode mudar a história de muitas vidas... Basta querer!!!


   

sábado, 5 de novembro de 2011

A borboleta...







Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes. 
As meninas sempre faziam muitas perguntas. Algumas ele sabia responder, outras não. 
Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina. O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar.
Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.
Então, uma delas apareceu com uma linda borboleta azul que usaria para pregar uma peça no sábio.
- O que você vai fazer? - perguntou a irmã.
- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta. Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar. Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la. E assim qualquer resposta que o sábio nos der estará errada!
As duas meninas foram então ao encontro do sábio, que estava meditando.
- Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio, ela está viva ou morta?













     
Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de você... ela está em suas mãos. 









Muitas vidas estão nesse momento em suas mãos, e cabe a você a decisão de vida ou morte...
Tome a decisão correta, opte pela vida!
Procure um hemocentro mais próximo e cadastre-se como doador de medula óssea! É simples e fácil ajudar!
O que representa apenas um pequeno ato para você, significa uma vida inteira para aqueles que esperam por um transplante de medula óssea... Pense nisso!